Mamães de SP: Uma Doença Chamada “Gravidez”

Durante os primeiros vinte semanas não deu para ver que estava gravida. As minhas amigas sabiam claro, e me trataram com muito carinho. Muito mesmo.

Não é porque sou ingrata e não quero desrespeitar ninguém. Mas eu sou assim; forte, independente e incapaz de pedir ajuda. Eu gosto de conseguir sozinha, e detesto quando as pessoas me tratam como uma coitadinha ou fraca. Ainda menos quando não acho justificado. Acho que aqui no Brasil há muita frescura em relação a gravidez e crianças. Acho realmente que os nórdicos são… bem, somos Vikings!

Lembro-me quando fui dar uma aula de inglês, e contei a minha aluna que tinha andado de bicicleta no domingo. Ela ficou surpreendida, e perguntou se posso mesmo andar de bicicleta enquanto gravida. Outra amiga não me deixou andar pelo lado de fora na calçada e trocou comigo, colocando a vida dela em “mais risco” do que a minha. Achei bonitinho o gesto, mas não necessário so porque estava gravida.

E a barriga cresceu. Uma vez no Pão de Açúcar, a funcionaria da caixa me disse que eu posso ir na caixa preferencial. Eu já sabia disso, mas como eu não me senti nada diferente expliquei que não me importava. E assim continuava. Uma vez no banco, já com oito meses e muito barriga, fiquei atras de uma senhora na fila “normal”. Quando ela viu que estava gravida me mandou para a caixa preferencial. Mas a caixa não tinha ninguém atendendo, pois estava sem clientes “preferenciais”, que significava que, se tinha ido para lá, um funcionário das outras caixas ia parar de atender uma fila “normal” para atender a coitadinha grávida. Expliquei o meu pensamento para a senhora. Como eu não estava me sentir nada diferente (talvez um pouco gordinha), e também não estava com pressa para “abusar” a caixa preferencial, resolvi ficar na fila normal.

Mas a senhora na minha frente não quis deixar. Ela não parou de pedir para eu mudar de fila e quando não suportou mais a minha presença, me deixou (forcou) passar em frente e ate pediu para os outros me deixar passar por eles também. Fiquei com vergonha, claro, (“a loira burra estrangeira não entende que aqui no Brasil há caixas para pessoas como ela”) mas fiquei mais é chocada com o estresse que ela passou por mim.

Um tempo depois vi um post no facebook sobre como as pessoas abusam os direitos preferenciais. Não é isso não gente, é que somos obrigados mesmo!!

Eu senti realmente que estava abusando, acho que a fila preferencial é para quem precisa. Eu não precisava! Eu estava bem! Parece que ninguém quer acreditar que tem como ter um gravidez bom. Eu já escrevi aqui no blogue sobre o que passa quando está gravida, as coisas ruins, mas a verdade é que eu passei por muito pouco e o que passou foi bem suave. Porque vou eu ficar na fila preferencial, se eu estou perfeitamente saudável e passando bem, e uma pessoa com por exemplo febre que esta se sentindo super mal mas tinha que sair para a rua comprar remédio ou comida, tem que ficar na fila normal.

Em janeiro quando tinha quase 40ºc e todo o mundo estava sofrendo, fui jogar na Mega Sena. A casa lotérica é pequena portanto, com muitos milhões em jogo, havia uma fila daqueles monstruosos. A fila saía para a rua e o povo tinha que ficar por baixo do sol direto, a sonhar dos milhões para aguentar. Havia uma caixa preferencial onde passava os velhinhos. Ainda bem, podia ser complicado para eles no sol mesmo. Mas para mim não. Suava sim, mas estava pior do que os outros. Talvez ao contrario, eu adoro calor!! Fiquei virada numa maneira para que a minha barriga não podia ser visto na caixa, para não me chamarem e eu ter que me sentir mal e envergonhada. Funcionava até cheguei mais proximo, ai me chamaram e explicavam cada vez que tenho preferencia… Devem pensar que tenho uma doença mesmo, atrasada mental, por nunca entender.

Fora das filas todo o mundo me tratava como uma pessoa especial. Abriram as portas para mim, me deixaram entrar primeiro no ónibus e as vezes até se levantaram para me dar seu lugar (bem justificado a pensar da maneira que eles conduzem…), me olhavam na rua (mais ainda que já olham bastante por ser estrangeira) e sorriam. Havia pessoas que conversaram comigo, so porque estava gravida.

Aqui as pessoas parecem adorar tudo que tem a ver com gravidez e bebes, tanto homem como mulher! Acho legal, mas acho absurdo como as pessoas me trataram como uma coitadinha doente.

Beijinhos,

CJ

Advertisements

About CJ - Loving São Paulo

A Swede in Brazil. Whatever comes to mind; thoughts, inspiration, food ideas, baby stuff, life.. I will write about it when I have free time! Uma Sueca no Brasil. Seja o que for; pensamentos, inspiração, novas receitas, coisas de bebes, a vida... Se há tempo livre escrevo aqui!
This entry was posted in Mamães de SP and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

4 Responses to Mamães de SP: Uma Doença Chamada “Gravidez”

  1. N says:

    Considering the length of the queues and the speed (extra slow) at which the clerks work at the Loterica, I would ABUSE of the caixa preferencial with no mercy !!! Sure, I hate to wait in line and when the line are too long, I just come back another day or time (criança no colo, or not). But really, you should enjoy the special treatment — you are not sick, you are special ! 😉 (and my comment in Portuglish is priceless)

    • Special, yes, you’re right. It is special to (be able to) carry a baby!! But its just typical me… feeling weak/bad/unable just because I get special treatment 🙂
      But really, I’m not being ungrateful, I realize people are just being considerate.

      • N says:

        There is also the fact that babies are a time bomb. People unwillingly realize that they might be cute, “fofo”, and “gracinhas” when they are happy, but when shit hits the fans WHO WANTS TO CHANGE A DIAPER? That’s right, mama, that’s your job ! 😉 So, again, we’ve EARNED the right to special treatment !!! 😀

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s